AzimuTTe Zero

Ir para o conteúdo

Menu principal:

AzimuTTe: Lourinhanosaurus

27 de Outubro de 2018

          Lourinhanosaurus antunesi é o nome científico do dinossauro que viveu por terras da Lourinhã, por alturas do Jurássico Superior. Até nós, chegaram ossadas e ovos. Vamos conhecê-los e muito mais que tem para mostrar o Museu da Lourinhã.
         Em Peniche, vamos ver o Cabo Carvoeiro a partir do mar, a caminho da Ilha da Berlenga. Terminaremos deambulando pelas ruelas medievais de Óbidos, absorvendo a sua História.
           Mais haverá para descobrir nesta viagem pela região do Oeste.

AzimuTTe (Substantivo masculino): Passeio de Todo-o-Terreno Cultural
Mais informações aqui.
AzimuTTe: Monges e Moinhos

30 de Junho de 2018


        De regresso a casa, depois de concluído este AzimuTTe e apesar da animada conversa com os meus passageiros, há uma sensação agridoce, que se plantou cedo no meu subconsciente, e que vai, lentamente, trepando até à superfície, até que não é mais possível ignorá-la. Assim foi, em retrospectiva, este passeio entre Lorvão e Anadia, com passagem por Penacova e Buçaco.

Para continuar a ler e ver as fotos, clique aqui.
   A culminar a serra da Boa Viagem, entre as praias da Murtinheira e da Figueira da Foz, o cabo Mondego é o único ponto escarpado da costa central portuguesa. Trata-se de um portentoso enrugamento de rochas calcárias que entram pelo mar adentro.
   Nos afloramentos jurássicos do cabo Mondego, onde funcionaram as Minas de Carvão do cabo Mondego e onde, em tempos, foi explorada cal hidráulica, cada camada de sedimentos é um relato da evolução geológica da Terra no período decorrente entre 185 MA e 140 MA.
  Resumindo, o cabo Mondego apresenta elevados valores nos domínios da paleontologia de amonites, da paleontologia de ambientes de transição, da sedimentologia e da paleoicnologia dos dinossáurios constituindo padrão internacional de referência - materialização e representação de um limite específico do tempo geológico - consagrado pela International Union of Geological Sciences.
  O Monumento Natural do Cabo Mondego é referenciado mundialmente como o melhor e único local no mundo, no qual, sob o ponto de vista estratigráfico, se podem observar e estudar rochas com cerca de 170 milhões de anos, pertencentes ao Bajociano-Jurássico médio. Devido a essa importância foi reconhecido com Global Standard Stratotype Section and Point.
  Desde 24 de julho de 2016, o Monumento Natural do Cabo Mondego passou a apresentar um “Golden Spike” (Prego Dourado), assinalando o limite inferior do andar geológico denominado Bajociano (Época - Jurássico médio, cerca de 170 Milhões de anos), designado “Secção da Murtinheira”. Esta classificação foi atribuída pela IUGS (Internacional Union of Geological Sciences).

2018

Museu Municipal Santos Rocha - Figueira da Foz

Para as fotos das sessões, clique aqui.


Arrozais e Salinas
Passeios em viatura todo-o-terreno.
Informações
       
Caminhada Jurássica

Disponível brevemente.

Caminhada Templária

8km pelos
monumentos
de Tomar.

Mais informações


 
Copyright 2015. All rights reserved.
Voltar para o conteúdo | Voltar para o Menu principal